Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

[email protected]

Pesquisa: apenas 5% dos passageiros aéreos brasileiros conhecem direitos Postado em: 20/11/2019 Baixo índice de recompensa financeira está relacionado à falta de informação
Atrasos, interrupções e cancelamentos de voos podem gerar reparação aos passageiros, mas poucos têm acesso a essa informação. De acordo com um estudo recente da empresa britânica de pesquisa YouGov, encomendado pela AirHelp, empresa líder mundial dedicada a ajudar passageiros aéreos, somente 5% dos brasileiros que viajam de avião conhecem seus direitos nessas situações. O estudo aconteceu nos meses de junho e julho de 2019 e ouviu mais de 10 mil pessoas de diferentes países, sendo 2.106 deles de nacionalidade brasileira. Na América do Sul, houve um aumento de 42% de pessoas afetadas por interrupções de voos. No Brasil, 51% dos entrevistados já tiveram algum problema com o voo nos últimos 3 anos. Desse total de participantes da pesquisa, 60% disseram que a empresa aérea nunca informou sobre os seus direitos. O percentual de passageiros no Rio de Janeiro que receberam informações adequadas foi de 42%. Em São Paulo, cidade com a maior concentração de passageiros do país, o número é ainda menor, caindo para 38%. Ao comparar o primeiro semestre de 2019 com o mesmo período do ano passado, o número de passageiros elegíveis a direitos, segundo a legislação brasileira, dobrou no país, passando de 500 mil para um milhão. Segundo expectativa da AirHelp, até o fim do ano cerca de dois milhões de viajantes podem ter direito à compensação financeira. O levantamento da AirHelp também mostrou que os três motivos mais comuns que impedem os brasileiros de solicitar a recompensa são: não saber como pedir o ressarcimento, a falta de conhecimento sobre os seus direitos e por achar que o formulário de reclamação demanda muito tempo.

Netflix e Hotel Urbano são marcas que mais engajam no Instagram e Facebook no País
As redes sociais se tornaram um dos principais pontos de comunicação entre as empresas e seus públicos. Esses canais, se utilizados de forma correta, podem criar um vínculo bastante positivo, ajudando a disseminar o posicionamento e a cultura das marcas. A Socialbakers realizou um levantamento no Instagram e no Facebook das marcas que mais engajaram no terceiro trimestre deste ano. Os números fazem parte do estudo apresentado durante o Engage São Paulo e é uma forma de analisar como as marcas se comportam em suas páginas e quais são os resultados gerados pela audiência de cada uma delas. Abaixo, as marcas que registraram maior interações, ou seja, compartilhamentos, reações e comentários, nas páginas no Facebook no último trimestre:
Hotel Urbano 10.308.748
Salon Line: 5.439.203
#ToDeCacho: 4.962.766
Netflix: 3.894.497
Havan: 2.828.281
E no Instagram, o número referente a curtidas e comentários :
Netflix Brasil 26.925.695
Lojas Americanas: 13.258.953
Hotel Urbano: 11.393.708
Cartola FC: 7.047.551
Arezzo: 3.766.022

Instagram lança função de vídeos inspirado em TikTok
A função Cenas já está disponível para os brasileiros que usam Instagram. A nova funcionalidade do modo Stories permite criar vídeos de 15 segundos, fazendo edições e adicionando efeitos e músicas de fundo. Disponibilizada inicialmente apenas no Brasil, a função Cenas promete uma disputa particular com o aplicativo chinês TikTok, que ainda não tem um grande público no país. Os novos stories feitos em Cenas poderão viralizar e entrar na nova sessão "Top Cenas" do Instagram. Fonte: ShowMeTech

Nestlé e Carrefour estão usando Blockchain para garantir autenticidade de leite para bebês
Na quinta-feira, 14/11, a Nestlé e o Carrefour anunciaram que os clientes poderão verificar a autenticidade de uma variedade de produtos de fórmula para leite para bebês usando a tecnologia blockchain. A plataforma IBM Food Trust é baseada na tecnologia Hyperledger. De acordo com seu site oficial, a solução blockchain visa permitir que os clientes verifiquem a origem ou autenticidade dos produtos, levando a uma maior transparência nas cadeias de suprimentos que os utilizam. Após um piloto bem-sucedido que permite que os clientes acessem dados de blockchain sobre o purê de Mousline, as duas multinacionais anunciaram um segundo produto para o serviço. Usando seus smartphones, os clientes poderão digitalizar um código QR e encontrar informações sobre as fórmulas infantis Guigoz (C) Bio Two e Three, dois produtos com fórmula de leite para bebês. Fonte: WeBitcoin
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2019 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia