Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

[email protected]

CONAREC 2019: painéis destacam importância da LGPD e da experiência Postado em: 11/09/2019
Informação crucial: apenas 15% das empresas estão preparadas pra atender a LGPD em 2020
S Entre as dezenas de painéis e palestras realizadas no primeiro dia do CONAREC, um destaque foi sem dúvida o painel LGPD: AS MUDANÇAS NO COMPORTAMENTO DAS EMPRESAS E OS IMPACTOS NO RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES, mediado por Camila Mod Zabisky, da Teleperformance, e com participação de Juliana Pereira,da Qualicorp, Vanessa Lopes Butalla, da Serasa Experian, e Renato Opice Blum, professor coordenador dos cursos de Proteção de Dados e Direito Digital - INSPER. Um dado importante trazido pelo Serasa: apenas 15% das empresas estão preparadas pra atender a lei em 2020. E isso pode redundar em multas da ordem de 2% do faturamento ou 50 milhões de reais por infração.Trata-se, portanto, de um grande --talvez, o maior -- desafio regulatório e comportamental. (Ainda bem que os associados podem contar com ABEMD, que lançou um programa de capacitação para a LGPD -- entre em contato para saber mais.)
Outro painel importante do CONAREC foi o de PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS PARA A CONSTRUÇÃO DA JORNADA INSPIRADORA E ENGAJADORA DO CLIENTE,mediado pelo jornalista William Waack e com a participação de Marcelo Bazalli, CEO do Extra, Antio Lacerda, Vice-presidente da BASF, Divino Sebastião de Souza, CEO da Algar, Fabio Avellar, VP da VIVO,e André Loureiro,Diretor Geral da Waze. Alguns highlights:"apenas 6% das pessoas reclamam (e são aqueles que gostam da empresa)" -- Algar; "o ecommerce trouxe os jovens para a arena e novas visões (compra cultural)" -- Extra (a empresa oferece capacitação e treinamento permanente, faz pesquisa de engajamento a cada 2 anos, tem mais de 17 indicadores); "A empresa usa NPS para os clientes, E-NPS para os colaboradores" -- Vivo.
Nosso agradecimento pela colaboração de Elcio Santos,CEO da AlwaysOn,que nos enviou algumas observações feitas no calor da hora)

Em um mundo de personalização versus privacidade, a Apple fez sua escolha
Quando a Apple lançou seu novo serviço de logon na Worldwide Developer Conference, em junho, a empresa foi reconhecida no setor como defensora da privacidade, dada a nova capacidade de impedir que terceiros rastreiem a atividade do usuário. Embora a ação da Apple certamente ofereça aos usuários mais flexibilidade ao usar aplicativos para dispositivos móveis, ela limitará a quantidade de informações que editores e anunciantes podem coletar dos consumidores. Ao se concentrar em fornecer uma alternativa aos serviços de login do Facebook e do Google, a Apple está criando um novo jardim murado que as marcas terão que se esforçar para superar. Além disso, o novo serviço da Apple não leva em consideração o número de pessoas que usam seus produtos, que realmente valorizam experiências personalizadas adaptadas aos seus interesses e estão abertas a compartilhar seus dados para essas experiências. Assim, em um mundo em que a personalização não pode de fato coexistir com a privacidade, a Apple deu um ultimato ao ecossistema de publicidade que tornará ainda mais difícil para as marcas fornecer experiências envolventes e construir relacionamentos significativos com os consumidores. As marcas acharão mais difícil segmentar os usuários com base na psicografia se a adoção do serviço crescer e criará ainda mais fragmentação em um ecossistema que precisa tornar os anúncios mais inteligentes e melhores para o consumidor moderno. Da mesma forma, as marcas de consumo acharão os dados muito menos úteis sem personalização. Se um consumidor estiver usando um novo jogo e as empresas não puderem utilizar nenhum de seus dados, as marcas B2C não saberão qual outro conteúdo, como outros jogos ou aplicativos relevantes, seu consumidor-alvo está interessado em participar ou fazer o download. A Apple está essencialmente dizendo aos profissionais de marketing que voltem à prancheta e façam mais com menos visibilidade dos novos e leais clientes que mais importam para seus negócios. Agora, precisamos dar um passo atrás e ouvir o que os consumidores realmente valorizam antes de pular no movimento. Fonte: Martech Advisor

SoftBank transforma a QuintoAndar no novo unicórnio da tecnologia imobiliária latino-americana
A QuintoAndar, desenvolvedora brasileira de tecnologia imobiliária, obteve US$ 250 milhões em uma rodada de negócios liderada pelo SoftBank, confirmando que o conglomerado japonês continua com seu compromisso de investir US$ 5 bilhões na América Latina. A rodada é o último sinal de que as startups da América Latina podem ganhar dinheiro se estiverem desenvolvendo tecnologias em áreas específicas que são um grande ponto de dor para a nascente classe média da região.A QuintoAndar inventou um mercado que permite aos usuários pesquisar, reservar, alugar e anunciar propriedades de aluguel no Brasil. O site gerencia listagens e visitas, processamento de transações entre inquilinos e proprietários e aloja os contratos digitais que vinculam esses contratos. A QuintoAndar também desenvolveu um sistema de análise de crédito onde não há a necessidade de co-signatários, depósitos e seguro de aluguel -- barreiras que historicamente bloquearam o fluxo de negócios nesse setor. O co-fundador e CEO Gabriel Braga diz que a QuintoAndar agora entrou em território unicórnio graças à rodada liderada pelo SoftBank. Dragoneer também participou, bem como os investidores de retorno General Atlantic e Kaszek (que recentemente anunciou um novo fundo de US $ 600 milhões).A startup, que cresceu para uma operação com 1.000 pessoas em São Paulo, acumulou um total de US $ 345 milhões até o momento, incluindo uma série C de US$ 64 milhões liderada pela General Atlantic que foi fechada há apenas nove meses. Braga se recusou a confirmar a avaliação exata da QuintoAndar, mas diz que ultrapassou o limiar do status de bilhão de dólares. A empresa foi fundada em 2013. Fonte: TechCrunch

O Spotify se integra ao Snapchat para permitir compartilhamento de conteúdo
O Spotify se integrou ao Snapchat para permitir que os usuários compartilhem playlists, podcasts e músicas no Stories and Snaps. Os usuários do serviço de streaming de áudio simplesmente precisam tocar em compartilhar e escolher o Snapchat no menu suspenso para criar Stories ou Snaps com o conteúdo e a arte do álbum desejados. Fonte: Engadget
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2019 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia