Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

[email protected]

A Vida de Padmasambhava - Venturas e Aventuras do Guru Rinpoche Postado em: 09/04/2019
Spoiler alert: esse post é off-topic. Se você não se liga em poesia e/ou budismo, nem precisa seguir em frente. Mas, caso contrário, vale a pena, acredite.

Não sei se vocês conhecem minha "veia poética", mas ela existe e pulsa desde que muito antes de começar a escrever neste. Este ano, inclusive, pretendo publicar vários livros, explorando essa veia, a começar deste que falo abaixo (até o final do mês, sai no mesmo esquema uma coletânea que denominei "O Avesso da Memória").

Mas vamos lá:

No ano passado, escrevi um longo poema, usando vários estilos de cordel, como martelo agalopado, oito a quadrão, etc., sobre a vida de Padmasambhava, o mestre iogue que levou o budismo para o Tibete. Ficou - modéstia à parte - bem interessante, pois a história dele, como toda saga espiritual, mistura-se a lendas e parábolas.

Transformei o poema em um livro, chamado A Vida de Padmasambhava, Venturas e Aventuras do Guru Rinpoche, cuja primeira leva retirei da gráfica na sexta à noite.

O livro tem apresentação do João Vale, que é uma pessoa muito respeitada na comunidade de budistas tibetanos aqui no Brasil, e teve uma espécie de pré-lançamento neste final de semana, durante um retiro que o Lama Padma Samten realizou aqui em São Paulo.

Bem, vamos aos comerciais...

O livro já está à venda na livraria online da AgBook: https://www.agbook.com.br/book/281584--A_VIDA_DE_PADMASAMBHAVA

Mas, claro, eu posso oferecer uma condição melhor para meus leitores, pois paguei um preço menor pelo lote que retirei da gráfica. Assim, em vez dos R$ 49,57 que é o preço proposto pela livraria, posso fazer por R$ 36,00 o exemplar, dos quais R$ 5,00 serão doados para o CEBB e suas atividades de ajuda às causas dos necessitados. Vocês podem transferir R$36 (por exemplar, mas muita gente está aproveitando para dar de presente) para minha conta: Itaú, ag 6901, c/c 06794-9, CPF 077965104-97.

Para quem está em São Paulo, podemos acertar para eu entregar pessoalmente. Ou envio pelo correio. Seja como for, o frete é grátis.

E agora algumas pílulas...

A Introdução tem 8 estrofes de 8 versos de 8 sílabas. Nela, me explico e peço a bênção de todos (isso é bem tradicional na poesia popular):"Pra começar peço licença/A todos os doutos da sanga/E ao Lama Padma Samten/Dele em especial peço a bênça/Pra não ser causa de zanga/Isso que fiz com empenho/Bem pouco de arte, engenho/E a pura intenção do bem".

Em seguida, conto o nascimento do Guru Rinpoche, em quadras de versos alexandrinos: "Como todos nós, Padmasambhava nasceu/Em bem preciso local de específica região/O lago Danakosha, no noroeste de Oddyana/País do Himalaia, onde hoje é o Afeganistão // Diferentemente do resto de nós/Ele não nasceu de útero feminino/Mas no coração de pólen de flor de lótus/Parecia ter oito anos o bebê-menino // O estranho lótus multicolorido trazia/A sílaba-semente Hri em vajra tatuada/Que o garoto segurava em sua mão pois/Era do coração de Amitabha emanada".

Depois, busco explicar os significados sutil e secreto do "nascer no lótus":"Trata-se, segundo nos mostra o Lama Padma Samten/De levar benefícios àqueles envolvidos na miragem/No Samsara pensam perceber tudo que existe/Mas o reino onde estão providencia cruel filtragem".

E assim por diante, passando por uma rápida olhada no que significa o aspecto Dorje Drolö, ou irado, escolhido por Padmasambhava para enfrentar os desafios que encontrou no Tibete:"Aqui cabe rapidamente/Olhar para o estilo/Escolhido por Padmasambhava/Para transmitir/Aos tibetanos o que tivera/Cuidado de construir/Gyalwa gong-gyüyi/Que cria atmosfera geral/A partir de uma compreensão/Mútua e pessoal/Ou seja, irado não é/O contrário de tranquilo/Trata-se apenas de aspecto/Onde não há acordo/Dorje Drolo não chama você/De magro se você é gordo/Nem aceita vão convite/Para estar com ele unido/Quem não sai da frente/Terminará sendo destruído".

Até a Conclusão, onde volto ao estilo da Introdução para me explicar e pedir mais uma vez desculpas, como de praxe, pois todo poeta é um falso modesto: "Termina assim minha lida/Desafio que eu fiz a mim/O de por inteira descrever/De Padmasambhava a vida/Espero você não ache ruim/Um passo maior que as pernas/Que a falar de coisas eternas/Eu não devia me atrever // Fico, portanto, rezando/Pra não ouvir de você um "ôxe!"/Por conteúdo que fiquei a dever/E for o que estiver julgando/Inclusive porque Rinpoche/Nem rima com essa palavra/Ou outra da mesma lavra/Uma rima próxima? Crescer",
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2019 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia