Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Xiko Acis

Filósofo e professor de Ética do MBA da Fundace. Sócio e consultor da [email protected], empresa especializada em Educação Corporativa.

[email protected]

A ética precede a religião Postado em: 22/07/2019

Todo ser humano, antes de escolher qualquer religião, seita ou um dogma, deveria aprender ética e moral de forma estruturada e profunda.

A ética precede a fé em todos os sentidos. Mesmo que você tenha fé na ética e na moral, sem você conhecer ética e moral profundamente, você tende a aceitar os dogmas sem um filtro intencional que, há 2.500 faz parte do repertório evolutivo da humanidade.

Resumidamente, a ética trata do bem/mal comum com viés universal e a moral trata do certo/errado com viés singular.

Os assuntos que a ética cuida e inspira a moral, têm uma visão mais abrangente ou seja, ultrapassa as fronteiras de um país. Não há ética brasileira, japonesa, americana. Há ética e ponto.

Os assuntos da ética, com esse viés universal, são assuntos que existem em todo o mundo: respeito, amor, educação, corrupção, homicídio, suicídio, honestidade, justiça e assim por diante.

Assim, a ética é princípio, é permanente, é universal, é regra, é teoria, é reflexão e trata do bem/mal comum do ser humano.

A forma como são praticadas, em cada cultura, está relacionado mais a moral do que a ética. A moral é o que o grupo de pessoas definiu como ações corretas para aquela situação. Por exemplo: preservar a vida é um assunto da ética. Usar o cinto de segurança (que não é universal) é um assunto da moral. A moral está ligada muita mais as leis do que ao bem comum.

Desta forma, a moral trata de uma conduta específica, é temporal, é cultural, e a conduta da regra, é a prática e trata do certo/errado.

As religiões em geral têm sua moral estabelecida através dos códigos de conduta que criaram. A bíblia, Torá, Alcorão e assim, cada uma com suas regras de conduta, definem o que seus seguidores devem ou não fazer. Da mesma forma que um funcionário que, ao não seguir uma regra do código de conduta da empresa é considerado imoral, um fiel, não seguir o código de conduta da sua religião é igualmente imoral.

Se você escolheu ser cristão, seja de qual linha for: evangélico, católico, protestante etc., e não segue a bíblia de forma literal, você é um(a) imoral, seja a desculpa que arrumar, continua sendo um(a) imoral.

Se você não tem condições de seguir o que está escrito na código de conduta da sua religião, você tem duas alternativas:  lute de todas as formas para alterar o código para sua realidade ou deixe de seguir sua religião. Ficar na religião e não seguir o código te torna hipócrita e imoral, fazendo com que essas características continuem nas próximas gerações. Você deixará uma herança maldita para seus filhos e descendentes.

Somente estudando ética e moral profundamente, é que você poderá entender esses princípios e fazer de sua fé algo mais adequado ao mundo contemporâneo.

Antes de ser religioso, seja ético.

Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2019 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia