Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

fernando.gguimaraes@gmail.com

Amazon começa a integrar Alexa às rotinas de escritório -- e ao atendimento Postado em: 12/03/2018
Empresa já fechou acordos com SAP, Salesforce, WeWork, CapitalOne e Wynn Hotels
A Amazon anunciou nesta segunda, 12/3, que está pronta para colocar seu assistente de voz em uma variedade de configurações de negócios, grandes e pequenos, como hotéis e espaços de colaboração. Pelo que entendemos, o que se chamava até agora de Alexa For Business era simplesmente um artifício de marketing, sugerindo usos dos dispositivos Echo e o próprio Alexa em ambientes corporativos. Agora, porém, é para valer. A empresa vai disponibizar SDKs que permitem criar novas rotinas no assistente de voz para dar respostas ou iniciarem processos no contexto da empresa onde for utilizado. A ideia é substituir planilhas com interfaces defasadas e sistemas de interação impossíveis de atualizar e usar rapidamente para responder perguntas frequentes, libertando finalmente as empresas da tecnologia de atendimento aos consumidores que vêm sendo utilizados desde a década de 90. A Amazon já iniciou a integração desse novo Alexa For Business através de acordos com uma série de grandes empresas e fornecedores, como SAP, Salesforce, WeWork, CapitalOne e Wynn Hotels. Fonte: Axios
 
Forrester: marketing online vai crescer, mas busca vai perder terreno
Um novo relatório da Forrester sugere que as marcas de varejo investirão 55% mais em marketing e publicidade online em 2023, mas menos dólares irão para canais tradicionais de busca como Google. O movimento significa uma mudança na forma como os hábitos de compra do consumidor continuam a mudar. Mais usuários dirigem-se para a Amazon e sites de varejo para compras e para o Google e Bing para obter respostas a perguntas. A mudança dá à Amazon um motivo para fortalecer sua área de buscas -- recursos de texto e voz para o tráfego orgânico, bem como sua plataforma de publicidade de busca. A Forrester estima que o market-share do Google -- 78% em 2016 -- continuará a ser erodido à medida que as empresas encontrem outras plataformas para investir suas verbas. A pesquisa apontou três achados principais que terão um grande impacto no marketing de busca. A Amazon compete cada vez mais com os motores de busca pelos compras, a busca por voz cria novas maneiras de alcançar os compradores e o celular continua a desempenhar uma influência "significativa" nas vendas. Fonte: MediaPost SearchInsider
 
Pesquisa: Ford lidera as montadoras em estratégias digitais
Os fabricantes de automóveis sabem que a experiência de compra de carros começa antes dos consumidores atravessarem as portas da concessionária. A Ford está no topo das estratégias digitais, de acordo com a L2, um serviço de inteligência de negócios. As marcas de carros estão aumentando suas páginas online de informações de veículos, segundo o estudo Digital IQ Index: Auto 2018, da L2:  95% das marcas observadas agora oferece vídeos de produtos em seus sites de marca, 49% fornecem fotos de interiores e 47% oferecem visualização 360 graus. No entanto, o número de marcas que oferecem ferramentas de comparação de marcas caiu 16% entre 2017 e 2018, indicando que as marcas Índice podem estar temendo ficarem vulneráveis face à concorrencia. O relatório avaliou o desempenho digital de 43 marcas de automóveis que operam nos EUA, com foco específico em estratégias digitais chave e melhores práticas para que os fabricantes de automóveis sigam os consumidores em um mundo "mobile-first" e cada vez mais competitivos -- as vendas de automóveis nos EUA deverão diminuir em até 5% no próximo ano, e os desenvolvimentos nos grandes mercados internacionais e tecnológicos tornam o futuro incerto. Fonte: MediaPost MarketingDaily
 
Amazon está criando uma nova forma de pagamento que usaria a rede de compensação bancária
Jeff Bezos mudou a forma como as lojas da América. Agora, quer mudar a forma como paga as coisas. A nova solução da Amazon.com Inc. pode mudar completamente o modelo de pagamentos com cartão e gerar uma economia de US$ 250 milhões por ano em taxas de intercâmbio, o que, por outro lado, é má notícia para Visa, MasterCard e uma série de outras empresas. A informação é que a Amazon estaria em discussões antecipadas com bancos para criar um produto semelhante às contas correntes em que os consumidores poderiam se conectar diretamente à Amazon e o dinheiro trafegaria por uma rede de compensação bancária, com menos taxas, portanto. A Amazon quer que a conta atraia especialmente os millennialse aqueles que não possuem contas bancárias e cartões de crédito. O plano, se se concretizar, dificilmente é um sucesso garantido. Mas poucos analistas pensam que Bezos iria parar ali, mas tentar expandir o alcance da Amazon na vida econômica dos consumidores, com produtos como empréstimos de carro ou hipotecas. Fonte: Bloomberg
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2018 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia