Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

fernando.gguimaraes@gmail.com

Snapchat agora suporta 60 segundos de vídeo Postado em: 23/07/2017

E tem um recurso para trocar cores de objetos
É fato que o Snapchat foi atropelado pelo Instagram, mas não podemos dizer que eles desistiram: a rede social ganhou uma atualização para suportar vídeos de até 60 segundos. Na verdade, 60 segundos de vídeo. Até então, o Snapchat tinha um limite de 10 segundos nos vídeos. A partir de agora, ao enviar um snap, você poderá manter o botão de gravação pressionado por mais tempo, e o aplicativo gravará continuamente até seis vídeos de 10 segundos - o recurso se chama Multi-Snap. Esses vídeos serão enviados em ordem cronológica, então as pessoas poderão assisti-los como se fossem um único vídeo. É possível excluir individualmente os trechos de 10 segundos que você não quiser publicar, mas não mudar a ordem deles. Além disso, o Snapchat está lançando o recurso Tint Brush, que permite mudar as cores de objetos, semelhante ao que existe em editores de imagens - só que de um jeito mais prático. Basta selecionar a região que você quer mudar de cor, escolher a nova cor, e o Snapchat utilizará aprendizagem de máquina para fazer o resto automaticamente. O Multi-Snap está disponível para iOS e será lançado em breve para Android, enquanto o Tint Brush já funciona nas duas plataformas. Resta saber quantas pessoas se importarão com as novidades. Fonte: Tecnoblog

E-commerces nacionais enfrentam maior concorrência de sites estrangeiros
A cada ano, a participação do comércio eletrônico internacional aumenta no mercado brasileiro. Segundo pesquisa da Ebit, as compras brasileiras feitas em sites internacionais totalizaram 7,7 bilhões de reais em 2016, apresentando um crescimento de 17% em comparação à 2015. Já o crescimento do mercado doméstico de e-commerce apresentou crescimento de 7,4%. Se antes os principais concorrentes estrangeiros eram sites americanos como o Ebay e o Amazon, o comércio virtual brasileiro agora também compete com marketplaces chineses, que oferecem uma ampla variedade de produtos, de eletrônicos a móveis e vestuário, por um preço competitivo. "No segmento de eletrônicos e informática, as lojas internacionais já tem uma participação considerável. Mas as condições de garantia, entrega, troca e devolução, tem um grande peso na decisão final de compra. Essa maior segurança na aquisição acaba sendo mais atrativo que o valor final", afirma Adriana Maia, da Impressora.com. grandes varejistas como a B2W e a Cnova investem em seus marketplaces, captando lojas menores para oferecer produtos em seus sites, o que colabora em manter o volume de vendas e proporciona maior lucratividade a médio prazo. Além disso o modelo de "retirada na loja" está sendo cada vez mais adotado, tanto por lojistas quanto consumidores. Fonte: Revista do Varejista

Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2017 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia