Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Fernando Guimarães

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade

fernando.gguimaraes@gmail.com

O que você compraria se dispusesse de 1,7 trilhão de dólares? Postado em: 24/11/2017
Google, Apple, Facebook e Amazon têm todo esse dinheiro para investir em aquisições
Essa é exatamente a soma que a GAFA dispõe. GAFA? Pois é, essa a sigla que reúne informalmente Google, Apple, Facebook e Amazon, quatro das empresas mais ricas do planeta -- e talvez as mais agressivas. , com US $ 1,7 trilhão entre eles. As quatro freqüentemente atropelam empresas menores, com a intenção de absorver novas inovações ou simplesmente impedir o crescimento de um concorrente em potencial. Como atuam nessas horas? A Amazon prioriza a aquisição de grandes nomes como Whole Foods Market ou sua contraparte no Oriente Médio, Souq.com. O Google está se mexendo na área de hardware e dados, enquanto Apple e Facebook usam sua força fianceira para reforçar seus respectivos pontos de diferenciação em um mercado competitivo. A história está repleta de empresas consideradas "muito grandes para falhar", que finalmente ficaram pelo caminho. As GAFA estão plenamente conscientes disso e usam aquisições para manter sua vantagem enquanto continuam a crescer rapidamente. O site ClickZ preparou um relatório, "GAFA: What can we learn from their acquisition strategies?", em que analisa as fusões e aquisições da GAFA, do YouTube em 2006 até Whole Foods neste ano, e as tendências que elas apontam. Fonte: ClickZ
 
Pesquisa: quais as lojas que estão sumindo das ruas das cidades do mundo
Uma pesquisa com consumidores de 24 países encontrou um senso generalizado de que certos tipos de lojas estão desaparecendo das áreas comerciais das cidades onde eles moram. Esses consumidores relataram verem cada vez menos livrarias, bancas de jornais e lojas de móveis em comparação com três anos atrás. Em contraste, eles relataram ter visto mais ou tantas farmácias, lojas de comida para viagem e cadeias de lojas. A pesquisa, conduzida pela Ipsos em outubro de 2017, descobriu que 39% dos entrevistados nos EUA relataram ter visto menos livrarias, enquanto 30% relataram ter visto menos lojas de eletrodomésticos. Um número similar relatou ter visto menos lojas independentes, ou seja, que não pertencem a redes. O sentimento de perda de presença no varejo ocorreu em paralelo (embora não exatamente) à mudaça nos hábitos de compra dos compradores. A pesquisa descobriu que mais de 20% dos entrevistados dos EUA relataram ir menos frequente comprar roupas, eletrodomésticos, móveis e livros nas lojas. A pesquisa também consultou usuários sobre atividades como ir ao cinema ou comer uma refeição em um restaurante. Ir para um bar, por exemplo, está significativamente menos comum do que há três anos, com 30% dos entrevistados dos EUA informando que fizeram isso com menos freqüência e 12% dizendo que fizeram isso com mais freqüência. Da mesma forma, mais de um terço dos entrevistados nos EUA disseram que vão ao cinema menos freqüentemente, em comparação com 16%, que disseram que fazem isso com mais freqüência. Fonte: eMarketer Retail
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2017 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia