Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Marcos Fábio Mazza

Consultor na Mazza Consultoria em Gestão Empresarial, Treinamentos e Capacitações. Autor dos livros "CRM Sucessos & Insucessos (2009) e Clientes & Empresas como Cães & Gatos (2012)".

mazza.ma@hotmail.com

Treinar é para cachorro, Pessoas a gente capacita! Postado em: 03/10/2017

Atendendo a pedidos vou re-publicar


"Feliz aquele que transmite o que sabe e aprende o que ensina".
                                                 Cora Coralina

 

Para muitas empresas capacitação é o mesmo que treinamento, mesmo que você pertença a este time conceitual, para podermos trabalhar daqui para frente peço que reveja (conceitualmente) estas duas palavras:
1. Aprender a dirigir, Curso de direção defensiva, Trocar fraldas, Criar um filho é um treinamento ou uma capacitação?
 
                              Capacitar é incorporar conhecimento

É saber fazer com base no próprio raciocínio

 

 
Como costumo dizer em minhas palestras:

 

"treinar é para cachorro, pessoas a gente capacita".

 

No fundo penso que quando precisamos de tarefas repetitivas e burocráticas realizamos treinamentos e quando buscamos um entendimento maior e com muitos conceitos, precisamos então capacitar às pessoas via incorporação de raciocínio.

Pense comigo:

Na sua infância, quando você começou a aprender a escrever, você discutiu com seus pais ou professores se o uso do s ou do z estava coerente? NÃO, Por quê? Cérebro de criança aprende igual ao de cachorro: pelo exemplo e pelo reflexo condicionado:

 

(B+A) =BA; (B+E) =BE; (B+I) =BI; (B+O) =BO; (B+U) =BU.

 

Nesta idade aprendemos porque acreditamos que o professor é inteligente e seguimos todos seus exemplos. Não há discussões.

 

"As crianças precisam de modelos mais do que precisam de críticos" - Joseph Joubert (1842)

 

Algumas empresas montam sua grade de treinamento com a mesma proposta pedagógica, mas se esquecem que seus colaboradores não são mais crianças e NÃO se adaptam mais a este método de aprendizagem.

Pode até funcionar, porém com objetivos específicos de cunho repetitivo. O que encontramos na maioria dos casos são treinamentos chatos, repetitivos e desmotivantes; perde-se tempo e dinheiro da empresa e os resultados em aprendizagem são medíocres.

 

Já a partir da adolescência, devido ao próprio comportamento "aborrescente" o questionamento passou a ser parte integrante da vida e todo aprendizado se baseia na comprovação e discussão de fatos e a metodologia vencedora passou a ser: "Aprender fazendo".

O que precisa mudar na busca pela excelência no treinamento ou capacitação?

Não mudar o PORQUÊ fazer, mas sim o COMO fazer.

 

"Lembre-se de que uma palavra ouvida permanece menos tempo inscrita na mente de uma pessoa do que aquilo que é visto por ela"

 Horácio (8 AC).

 

Precisamos parar imediatamente de fazer treinamentos ou capacitações, só porque esta na famosa grade, Precisamos SEMPRE mensurar o resultado de cada atividade e identificar pontos falhos de aprendizado e voltar.

 

Treinamentos e Capacitações são investimentos,

 Despesas são colaboradores não trazendo dinheiro para dentro de casa, por que não sabem como desempenhar sua função.

 

Alguém que tem um bom conhecimento técnico sobre o assunto prepara e dá uma aula sobre o assunto, esta consiste em apresentações onde o palestrante, com postura de professor universitário, diz como as coisas devem ser feitas, e espera que o público entenda e saiba "repetir" tudo o que foi ensinado (papagaio).

È o verdadeiro "me engana que eu gosto". Um se engana que ensinou e outro se engana que aprendeu. Buscamos sempre acreditar que o conhecimento técnico sobre o assunto é mais importante do que como transmiti-lo com efetividade.

 

Mas metodologia a ser utilizada para o aprendizado, interfere diretamente no seu resultado. Muitos estudos comprovam que se utilizarmos somente a visão, nossa capacidade de absorção é de 5%; se utilizarmos a visão e a audição nossa absorção cresce para 10% e se junto com a visão e audição executarmos alguma ação a capacidade vai para 40%.

 

 

Outra pergunta: O que você guardou mais em sua memória, uma aula da faculdade ou uma aula de cursinho pré-vestibular? Qual a grande diferença das duas aulas: Metodologia e a capacidade de absorção com o método utilizado pelos professores.

 

 

Como fazer então para termos processos de capacitações com maior excelência?

 

"Diga-me e esquecerei".

"Mostre-me e recordarei".

"" Comprometa-me e entenderei ""

 

Confúcio

 

Vou convocá-los para uma revolução na metodologia de capacitações e treinamentos:

 

"Abaixo o power point",

"Viva o flip chart"

.

"Abaixo as apresentações convencionais",

Viva "as discussões em grupo"

.

"Sai o professor e".

"Entra o FACILITADOR"

 

"Adulto só aprende vendo, ouvindo e fazendo."

 

Caro amigo leitor, inicialmente pelo "inconveniente de mudança" a resistência do modelo tradicional será enorme e nosso desafio ainda maior, mas não desista é por uma boa causa.

 

"Hoje é sempre o dia certo de fazer as coisas certas de maneira certa. Amanhã será tarde." Martin Luther King.
 
Boa semana à todos e lembrem-se
"O mundo é um mar de oportunidades, mas você precisa saber nadar"
Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (4)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Comentários
Postado em: 14/04/2013 às: 20:37 Por: João Geraldo Cardoso (jogecar1@yahoo.com.br)
Bom esse debate e muito valioso para a reflexão. Os profissionais conscientes da importância do conhecimento para que possam progredir em suas carreiras, terão iniciativa e buscarão capacitação, além de somente se sentirem confortáveis quando dominam técnicas e procedimentos. Entretanto colaboradores não comprometidos com os resultados, em sua maioria somente se propõe a seguirem regras e procedimentos. Cordial abraço a todos.
Resposta do(a) Blogueiro(a): Postada em: 16/04/2013 às: 08:45
Valeu João Geraldo!
Postado em: 09/04/2013 às: 10:53 Por: Ricardo (rshp@yahoo.com)
Discordo de algumas colocações. Acredito que após a capacitação é necessário "treinar" as novas habilidades para tornar parte integrante da pessoas suas novas habilidades. Quando um comportamento ou habilidade nova é aprendida a forma mais eficiente de tornar permanente é o treino. O título chama a atenção, mas distorce o uso da palavra treino.
Resposta do(a) Blogueiro(a): Postada em: 11/04/2013 às: 08:30

Valeu Ricardo

Pagina aberta a discordâncias!

Habilidades necessitam de aprimoramento e quando atingido gera raciocínio proprio e necessita ser complementado por capacitações - Concorda?
Postado em: 09/04/2013 às: 00:50 Por: Glaucia Guerreiro (glaucia@guerreiro.agr.br)
Marcos, muito legal esse post bem como os demais que nos enriquece, obrigada pelo tempo investido na disseminação de coisas excelentes! Postei no face da Guerreiro Agromarketing ;) https://www.facebook.com/pages/Guerreiro-Agro-Marketing/273453086006466?ref=hl
Resposta do(a) Blogueiro(a): Postada em: 09/04/2013 às: 10:18
Obrigado pelo (feedback) a gente se esforça!
Postado em: 08/04/2013 às: 17:08 Por: Lauro Eduardo De Russi (laurorussi@terra.com.br)
Caro Mazza: Como sei de sua qualidade profissional, não me surpreendem as colocações propostas. Você tem toda a razão em seu raciocinio. Há 10 anos eu aplico o critério "30/70", isto é, 30 do tempo com fundamentação teórica e 70 com debates, dinâmicas, reflexões e provocações, seja nas universidades onde atuo, seja nas empresas que atendo. Parabéns! Um grande abraço. Lauro
Resposta do(a) Blogueiro(a): Postada em: 09/04/2013 às: 10:17
Grande Mestre Lauro, um bom professor sempre
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2017 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia