Busca: Nossos Servicos: RSS - O quê é isso?
Home do Blog Sergio Roque

Engenheiro mecânico, pós-graduado em marketing pela ESPM, com mais de 25 anos de experiência em marketing e comunicação. Sócio da consultoria de desenvolvimento pessoal "Ser O Quê" e da agência LinkLab Comunicação, atende a clientes como Itaú, Febraban, Cisco, Latam, Grupo Caôa, EMC2 e CA Technologies.

sergio@seroque.com.br

João Coração Postado em: 30/10/2017


João Coração

Meu coração vive sem mim. Sério, ele vive mesmo. E o pior, ele quis dizer isso a todo mundo. Bem, ao resto do meu corpo foi fácil. Assim que ele decidiu ir embora fazer sua campanha, o cérebro se encarregou de comunicar a todos os demais órgãos, vitais ou não, que o egoísta, desgraçado ia sair e deixar todos na mão. Mas meu coração nunca foi egoísta, a não ser na escolha de seu nome.

Não me deu nenhuma chance de opinar, apesar de que gostei - João Coração - mas ele podia ter colocado o sobrenome da família depois, né?

Não sei por que ele saiu e eu não morri. Algo a ver com a energia vital do amor. Percebi então que ele estava cheio de sentimentos, imagens em criação, novas concepções, conceitos e que ele queria dizer isso ao mundo.

Bom, ele podia ser um bom coração, mas não sabia nada de comunicação ou marketing e ele, tinha amor sim, mas também estava cheio de maus sentimentos, medos, angústias e segredos, e não sabia como contar isso a todos.

Resolveu assim mesmo sair e enfrentar o problema. Como eu disse, ele não sabia nada de comunicação, publicidade e propaganda, mas queria que o mundo se conectasse a ele para escutar sua história e, quem sabe, alguém até pagasse algum tostão por isso, com o risco de ser chamado de mercenário, como alguns jogadores de futebol são chamados hoje em dia quando se vendem. Se vender, no caso, significa pensar no seu futuro econômico, que é exatamente o que o mundo inteiro faz desde que o sol se levanta até as bolsas do oriente fecharem. João Tostão não ia ficar bem.

Devemos confessar que o início foi difícil e ninguém lhe entendia. Bateu na porta de diversas agências de comunicação, publicidade, propaganda, internet, marketing direto, eventos, relações públicas e outras que diziam comunicar. Mas, depois de algum rodeio, se fazia a pergunta crucial, que definiria todo o resto da conversa:

- E qual a verba que o senhor dispõe para tal campanha?- perguntavam.

Sua resposta era sempre a mesma - Bem, não tenho nenhuma. - pulsava João, sem dar nenhuma batida a mais, pois sabia que não valia a pena.

Até que um dia, já meio desesperado pela chance de fracasso, e devo confessar que eu também estava (sei lá de repente ele podia entrar em depressão e se matar e quem ia para o beleléu era eu), ele resolveu acessar a internet divina, que sempre existiu. Entrou no site de busca Akasha que é um Google bem melhorado e falou o que procurava: amor.

No mesmo instante - nesta plataforma não se precisa clicar nos sites encontrados- apareceu então um sentimento, nem velho nem moço, trajando roupas de nenhuma época e lhe disse:

- O Senhor deseja amor, e posso lhe fornecer a quantidade que o Sr. precisar para o que quer que seja que estiver precisando.

João Coração quase parou. Eu sei disso por que o resto do meu corpo também ameaçou. Já estava para rezar pelos paramédicos entrarem em ação quando, depois de umas batidas mais fortes, reagiu e lhe comunicou :

- Bem, eu não queria amor, na verdade eu queria saber como comunicar ao mundo o que tenho dentro de mim e sei que uma parte é amor.- tum..tum..

- Mas e o resto que tem dentro de si? Vai colocar na campanha também ou vai ser como todos os demais que só contam o lado bom?

Ele sentiu, com a certeza que aquele Senhor ou sentimento enxergava-lhe por dentro e sabia tudo o que ele viveu entre uma diástole aqui e outra sístole ali.

- Pretendo divulgar tudo - bateu João ainda descompassado.

-Isso pode não ser bom para as vendas, mas não sou eu quem vai lhe dizer isso. Esta não é minha especialidade. O Sr. digitou somente amor, deveria ter sido mais explícito, mas fico feliz de saber e lhe digo: Se sua campanha for um sucesso e decolar, eu prometo que aqui não faltam fundos de investimentos dispostos a lhe dar mais amor do que o Sr. jamais viu ou sentiu, para o Sr. dispor como bem entender- disse em meio a uma luz vinda de um mundo pouco conhecido.

- E o que seu fundo leva nisso - meu coração foi mais João.

- Seremos sócios é claro - respondeu e João Coração sofrendo arritmia.

- E quem poderá me ajudar com a minha campanha?- ousou trepidar meu querido órgão vital.

Eu cantarolei Vital e sua Moto após a lembrança. No meio de tudo aquilo eu apenas vivia como os demais - sem coração.

- O Sr. vai voltar e procurar uma empresa chamada AveBendita a qual comunicarei a própria dona para recebe-lo já brifada. Volte para onde veio, pois é lá que ela tem sua planta operacional e não há lugar melhor para iniciar esse relacionamento, eu lhe garanto - e na sua voz o batedor sentia o próprio caminho de volta.

João Coração desceu de volta e como soubesse o caminho por todo o sempre foi até a dita empresa e parou em frente a um edifício azul. Aliás tudo era azul, até a luz que parecia vir através dos tijolos de vidro da parede da recepção e  pela qualidade da porta já se percebia que era uma grande empresa. Provavelmente devia ter filiais no mundo todo e capital internacional.

- Não amado, o capital vem de todos os universos- a voz doce e cheia de bondade quase nocauteou o pobre João pulsante.

Se o que sentiu antes parecia ser todo o Amor mesmo forte e ser de uma natureza que desconhecemos, o sentimento a sua frente era toda Força, mesmo sendo a mais doce e bondosa voz que ele sentira.

Ele sabia que nunca mais seria o mesmo. Tum...Tum...Tum..

- Pelo que meu filho me disse, o senhor quer divulgar de forma inteligente e barata e que todos entendam e sintam o valor do amor que o Sr. tem dentro de si, mas para que? Qual seu objetivo? - o tom de voz da Senhora era mais ou menos como se ela o achasse indigno daquilo. - E mais, o Sr. está preparado para sentir discutirem em cadeia nacional, o seu lado obscuro?. Veja bem, não quero desencorajá-lo, mas meu filho, absolutamente perfeito, divulgou seu coração aqui e até hoje escuto cada coisa. Bem, pelo menos você não tem braços e pernas para ser crucificado. Vamos lá! Qual é o nosso objetivo?

O "nosso" não deixava dúvidas de que a Senhora já estava trabalhando e João não sabia se devia ser humilde e diminuir suas intenções, mas resolveu, por final, ser honesto. - Senhora, eu queria divulgar todo amor que tenho dentro de mim, para que todos os corações comprem esta ideia e junto com suas porções de amor possam, quem sabe um dia, fazer suas próprias campanhas e assim todos os corações que tenham uma porção muito pequena de amor possam receber mais amor. E se estou bem certo do que senti lá em cima, se a empreitada der certo, não faltarão investidores anjos para colocar mais amor no mercado.

- A senhora tem ido procurar amor recentemente? Tem supermercado em que está escondido na última gôndola, bem lá embaixo junto com a seção de princípios e valores, o que seria até bom, ao menos para os baixinhos poderem pegar uma porção de vez em quando. Mas seus pais passam correndo naquelas fileiras, ou pior, nem passam.

João coragem continuou - Mas o que me deixa mais preocupado ainda são os produtos falsificados.

-Sr. João, o senhor tem razão. Lá em cima nunca se negocia com os pontos de distribuição e nossas embalagens já foram melhores, mas, sua proposta é sincera e vale o retorno. Colocarei todos aqui comigo trabalhando no seu job, construiremos marca, valor, planejaremos e comunicaremos a todos os demais corações o seu amor. Os outros sentimentos não importam, pois não existe amor imperfeito.

-Em um coração cabe todo o amor do mundo. De um coração pode distribuir amor ao mundo todo. Só precisa querer, fazer e arriscar a não bater mais.

O resto de mim nem se mexeu ao saber disso, pois João Coração voltou para dentro de mim e tive que aceitar mudar meu nome.

Hoje sou João Coração. O bate-apanha está alegre como nunca, pois os resultados estão cada vez melhores apesar do risco constante de parar de vez entre um tum e outro.

Entre um abre e fecha passa a vida, pois somos os que é nosso coração.

E João tum..tum..tum...opa.tum..tum.foi só susto.

Veja todos Artigos deste(a) Blogueiro(a) [Comentar (0)] [Enviar por e-mail] [Regras de Uso]

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Deixe seu comentário
Nome:
E-mail:
Comentário:
máximo caracteres.
 
Arquivo
 
Clientesa.com.br - Blog
Copyright © 2017 - Grube Editorial - Todos os direitos reservados
Powered byCantini Tecnologia